Alcobaça, Nazaré, Óbidos

Alcobaça

Visitamos a Igreja do Mosteiro de Santa Maria, a primeira construção completamente gótica de Portugal e o quarto monumento que faz parte das Sete Maravilhas de Portugal. Lá repousam os restos mortais de D. Pedro e Dona Inês de Castro, atores de uma trágica e conhecida história de amor portuguesa: “O príncipe D. Pedro, casado com D. Constança Manuel, perde-se de amores por uma das aias de sua mulher, a castelhana Inês de Castro. Após a morte de D. Constança, o rei assume publicamente o seu amor por D. Inês, passando a viver maritalmente com esta, nascendo desta relação três filhos. A relação foi condenada pelo pai de D. Pedro, o rei D. Afonso IV, condenando D. Inês à morte, em 1335, por alegada traição ao reino. Após subir ao trono D. Pedro I levou a cabo a missão de vingança, condenando com violência todos os culpados e envolvidos na morte da sua amada, decretando também D. Inês como rainha de Portugal. D. Pedro ordenou a construção do seu túmulo e da sua amada, transladando os restos mortais de D. Inês para o Mosteiro de Alcobaça, constituindo hoje uma das maiores esculturas tumulares da Idade Média no País. O Rei determinou no seu testamento que, aquando a sua morte, os túmulos deveriam ser colocados de modo a que no dia do juízo final, quando os dois apaixonados ressuscitassem, se olhassem olhos nos olhos. Hoje em dia estes túmulos são visitados por muitos apaixonados, muitos no próprio dia do casamento, dizendo-se que quem jura fidelidade a este amor, vê a eternidade do seu próprio.” Fonte: https://www.guiadacidade.pt/pt/poi-mosteiro-de-alcobaca-13791.

Conta o povo que ao exumar o corpo de D. Inês, D. Pedro obrigou a corte a ajoelhar-se diante dela e beijar-lhe a mão já decomposta.

Nazaré

Nazaré, uma vila piscatória que teve sua origem no culto à imagem de Nazaré, trazida por um monge de Nazaré, onde vivia Jesus, ele levou consigo uma imagem, supostamente feita por José, o pai de Cristo, a imagem foi colocada sobre um altar de pedra numa gruta onde o monge escolheu para viver. Num dia de muita névoa, o Rei D. Fuas se separou dos outros numa caçada e quando percebeu seu cavalo ia cair num precipício, ele reconheceu o local onde ficava a imagem na gruta e rogou a Nossa Senhora pela sua vida, o cavalo então parou e ele se salvou. Ele construiu uma capela sobre a gruta em agradecimento à Nossa Senhora por ter salvo sua vida. Na praça enfrente à nova capela, funciona uma feira de artesanato.

A Vila tem uma vista muito linda e a área próxima da praia é bem badalada, com muitos restaurantes e comércios. Ainda se vê pescadores trajando camisas xadrez e gorros e mulheres usando saias pretas. Destaque para o funicular para subir até a parte de cima da cidade.

Óbidos

A cidade foi um presente que o Rei Diniz deu para sua noiva Isabel de Aragão em 1282. A construção data do Sec. XIV. É toda cercada por muralhas medievais.

 

Anúncios